Quem inventou a urna eletrônica?

 Pesquisei na internet, via Google, e achei isto. Tirem suas conclusões.

Sabemos que o Brasil é um dos países mais avançados, se não o mais avançado com relação à realização das eleições. A invenção da urna eletrônica ocorreu em 1989, na cidade de Brusque, Santa Catarina, por Carlos Prudêncio. Mas, na ativa só entrou em 1996, em teste em 57 municípios. Em 2000 ocorreu a primeira votação total na urna eletrônica. Com um montade de cerca de 120 milhões de eleitores no Brasil, a invenção da urna eletrônica ajudou a facilitar a contagem. E funcionou… nos adaptamos às maquininhas e tudo ficará feliz para sempre….

 

A eleição brasileira, considerada a maior votação eletrônica do mundo e que atrai a atenção de observadores internacionais, passou por um longo processo de evolução até chegar à atual etapa de informatização. Por estranho que pareça, a previsão de uma máquina de votar já constava no primeiro Código Eleitoral, em 1932.

 

Aos 52 anos, Carlos Prudêncio foi o mentor intelectual do atual voto eletrônico. Em 1989, ele implantou o primeiro terminal de votação por computador em Brusque, no Interior de Santa Catarina. Na época, aos 41 anos, Prudêncio era juiz da 5ª Seção Eleitoral do Estado, com sede naquele município. A adaptação do computador foi feita com a ajuda do irmão, Roberto Prudêncio, dono de uma empresa de informática. O modelo do programa de computador usado por Prudêncio é o mesmo adotado hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Voto eletrônico já estava previsto desde o 1º Código Eleitoral, em 1932 …

Anúncios

  1. JOHNSON

    Certo dia, em minha sala de aula, estavmos discutindo a respeito do crescimento econômico do Brasil. E chegamos a um ponto muito curioso: A INVENÇÃO DA URNA ELETRÔNICA. Então decidimos perguntar a professora de geografia, a respeto da urna. Disse ela que o Brasil é o único país do mundo que produz estas urnas. Isso é muito bom para o Brasil.
    Podemos até exportar para ostros paíse, visto que o Brasil já patentiou a sua marca nas urnas, posto que nenhum país pode fabricar-las, e sim comprar do Brasil
    Obrigao!
    Paulo Johnson Lisboa de Araújo – Ferreira Gomes-Amapá-Brasil
    28 de maio de 2009.

    Curtir

  2. Marcelo Cabral

    Em 1981, o então Ministro da Justiça Ibraim Abi-Ackel, em visita ao Instituto Tecnológico da Amazônia, hoje Universidade do Estado do Amazonas, testou um protótipo da urna eletrônica, conforme noticiado na mídia nacional e local da época (tenho os jornais), portanto o inventor se chama Prof. Angilbelto Miniz.

    Tenha uma Boa tarde,

    Marcelo

    Curtir

  3. Flavia

    Acho sim que a urna eletronica facilitou pra nós o voto, mas tenho que ser muito sincera, quando digo que não acredito que não há como saber em quem cada um dos eleitores votou, afinal é um computador e os Rakers estão por toda a parte e fazem de tudo com computadores. Qual é a garantia que nós temos de que o nosso voto é realmente secreto? Outra coisa que eu não concordo é o fato de que na urna eletronica existem as teclas CONFIRMA, BRANCO E CORRIGE. Porque há um incentivo (indiretamente) para que o eleitor vote em branco? Porque não tem um tecla VOTO NULO? porque se eu votar errado eu tenho que corrigir? Acho que os eleitores deveriam se manter atentos a esses detalhes, porque se eu voto em branco simplesmente desisto do meu direito de votar, e qualquer pessoa pode preenche-lo com o candidato que quiser. Se eu anular, estou declarando que nenhum dos candidatos me agrada, e ninguem pode mudar meu voto se ele for nulo. Eles aceitam o voto em branco, colocaram até uma tecla lá pra nós, mas quando se fala em errar o numero do candidato mandam você apertar a tecla CORRIGE. Porque ninguem quer seber o porque dessas questões? Porque se a maioria dos votos forem nulos eles serão obrigados a cancelar essa eleição e fazer uma nova campanha com outros candidatos. Pensem nisso!

    Curtir

  4. Mariana

    O Brasil está de parabéns por esta e muitas outras descobertas, só não entendo porque muitos outros países excluem tanto as descobertas do Brasil. Eu acho que o Brasil provoca muita inveja. Todos sabem quem inventou a luz, mas se vc pergunta quem inventou o avião ninguém sabe, e quando vc responde eles fingem que acreditam, sempre acham que foram os americanos ou os europeus, e que o brasileiro é burro, ou que não é capaz de inventar nada. Os brasileiros realmente são burros no sentido de se considerar inferiores a eles, porque em realidade de inferior não temos nada. O voto eletrónico foi descoberto por um brasileiro y utilizado por primeira vez em Brasil, eles andam pela internet tentando fazer os outros acreditarem que foram os americanos, e em outras páginas dizendo que não tem credibilidade, o avião foi inventado por um brasileiro e eles tentam fazer o mesmo, que todos pensem que foram os irmãos Wright, quando na verdade eles inventaram um aviãozinho que não levantava vôo, e sim tinha que sair desde um ponto alto pra poder voar, Santos Dumont inventou o verdadeiro avião que levantou vôo. O brasileiro devería se valorizar mais, e os políticos não deveríam vender tudo o que temos de bom porque afinal seremos conhecidos aí fora como idiotas, e depois o maior exportador de castanha de cajú no mundo é a Índia, quando na realidade a castanha de cajú é um produto original do Brasil. Isso é indignante, a maioria dos brasileiros deve se sentir hipotentes no sentido de não poder fazer nada pelo seu próprio país. Isso é uma tristeza! E agora que venham os americanos e instalem sua Base Aérea no Amazonas, era só o que faltava, daqui a pouco nos roubaram o Amazonas! Acorda Brasil!!!

    Curtir

  5. mariana casé amdrade ferreira

    muito interessante, pois sem a urna eletrônica hoje em dia seria muito difil contar todos aqueles votos.

    Curtir

  6. Luis Carlos Tamanini

    O POVO IDIOTA…..Poucos sabem, mas a o Brasil não inventou a urna eletronica, não é reconhecido como exemplo para o mundo, e não possue o sistema mas avançado, o Brasil usa a 1º geração e o resto do mundo usa a 3º e já existe a 4º …. mesmo o “Paraguai” que testou a nossa urna não aprovou ela, por não ser segura…. a Russia usa a 3º geração e todos sabemos que a eleição russa foi cheia de fraudes…o brasileiro é muito ingenuo e tolo, acredita na aquilo que “quer” acreditar, mesmo que a verdade grite na sua cara…. por isso temos sempre a mesma merdas de politicos se re-elegendo…povo estupido.

    Curtir

  7. Glauco Müller

    O nome da pessoa que ajudou o Dr. Prudêncio projetando e executando a votação eletrônica a partir de Brusque SC é Itamar Mosimann, programador e não é irmão do Dr.

    Curtir

  8. Francisco Gutierres

    Urna eletrônica é coisa de país de povo semi alfabetizado, que só sabe apertar botão e mal sabe assinar o nome!

    Curtir

  9. Marques

    Queria deixar avisado a dona Flavia, as Urnas eletronicas não ligados a internet, então na hra é impossivel um cracker invadir o sistema..

    Curtir

  10. Eu sou Osório

    16 de setembro de 2012 – 3:08 pm Luis Carlos Tamanini

    O POVO IDIOTA…..Poucos sabem, mas a o Brasil não inventou a urna eletronica, não é reconhecido como exemplo para o mundo, e não possue o sistema mas avançado, o Brasil usa a 1º geração e o resto do mundo usa a 3º e já existe a 4º …. mesmo o “Paraguai” que testou a nossa urna não aprovou ela, por não ser segura…. a Russia usa a 3º geração e todos sabemos que a eleição russa foi cheia de fraudes…o brasileiro é muito ingenuo e tolo, acredita na aquilo que “quer” acreditar, mesmo que a verdade grite na sua cara…. por isso temos sempre a mesma merdas de politicos se re-elegendo…povo estupido.

    (Eu)Concordo, pode ser a melhor de “manipular”por isso usada no Brasil mas duvido que Russia e USA estejam contando voto por voto!!

    Curtir

  11. paulo leite - recite

    Carlos e Roberto. Um juiz e o outro, irmao do juiz, dono da empresa de informática. Por que nao me surpreendo? Quanto custou essa brincadeira?

    Curtir

  12. José Leoni de Assis

    Em 1986 fui ao TRE de Cuiabá-MT falar com meu amigo LUIZ CARLOS DA FONSECA e quando ele foi me atender notei que estava com uma máquina de calcular nas mãos, semi desmontada e disse-me para eu voltar outro dia porque estava projetando uma MÁQUINA DE VOTAÇÃO e que teria pouco prazo para colocá-la em funcionamento. Poucos meses depois foi feito, como teste, uma simulação de votação na Escola Estadual Ana Maria do Couto no bairro Morada da Serra em Cuiabá e aprovado pelo TRE.Dai pra frente ela foi fabricada no Sul do Brasil. É só isso que tenho a contar.

    Curtir

  13. Luis

    MAS ESSA URNA ELETRONICA FEITA POR BRASILEIROS, NAO PODE SER PROGRAMADA PARA CERTO TEMPO IGNORAR VOTOS DE DETERMINADOS CANDIDATOS, E COM ISSO FAZER COM QUE O RESULTADO SEJA ALTERADO??

    SEI QUE PODEM DIZER QUE NAO, MAS AMIGOS, FOI FEITO POR BRASILEIROS

    EU PARTICULARMENTE NAO CONFIO NESSA URNA!

    Curtir

  14. Joel

    E quem disse que nos países que não usam urna eletrônica não existe fraude?? O não uso não seria justamente porque não se poderia mais fraudar uma eleição? Mania de achar que tudo no Brasil é feito com segunda intenção.É por isso que somos considerados atrasados. Está na hora de elevarmos nossa autoestima, de sermos mais brasileiros e menos americanizados e europeus.

    Curtir

  15. Jarley De Barros

    O problema do eleitor é a urna Eletrônica Brasileira. Em várias denúncias, especialistas comprovam que ela aceita fraudar votos em longa escala. A urna Brasileira é proibida no mundo inteiro, é uma máquina ultrapassada, façam pesquisas e vão se surpreender. O TSE e STF protegem a urna, ou seja a galinha dos ovos de ouro do político Brasileiro. Temos que mobilizarmos para mudar a urna para o modelo de 3ª geração que permite que o eleitor imprima seu voto. Assista: https://www.youtube.com/watch?v=d0T2wphnY9Q . Se não trocarmos a urna atual, a quadrlha que se instalou no poder da nação serão eleitos ( pela urna Brasileira) até o ano de 2042. Assistam https://www.youtube.com/watch?v=1GKkNR9fdX0 . Portanto antes de lançar candidaturas vamos trocar a urna Eletrônica Brasileira para garantir a democracia… Pense nisto! o voto é assunto muito sério.

    Curtir

  16. jhonatta

    O processo eleitoral brasileiro teve sua evolução com a utilização da eletrônica? para a maioria dos brasileiros, trouxe seriedade e segurança na apuração e totalização dos votos, sendo, de certo modo, considerada o orgulho tecnológico nacional. será? Esta tese visa a chamar a atenção do meio acadêmico e da sociedade em geral para os erros atuais nos procedimentos eleitorais e possíveis falhas ou fraudes eletrônicas dentro desse novo processo. Neste sentido, alerta sobre o fato de que a urna eletrônica apresenta flagrante desrespeito a conquistas democráticas mundialmente consagradas – o voto secreto e a recontagem de votos e, assim, à INconstitucionalidade do seu uso; a urna eletrônica é proibida e inconstitucional na maioria dos países e nas principais potências econômicas sérias e de respeito.

    Curtir

  17. Andre

    Isto é um assunto oculto, poucos comentam, mas a urna eletronica está sujeita a fraude, melhor dizendo, só nós utilizamos, o país da Apple não usa…..que @&$&@@&$ é essa?

    Curtir

  18. Patrícia Jacob

    Quem inventou a urna foi Sócrates Ricardo Puntel, que a apresentou ao mundo em 1960. Embora seu invento não tenha sido o que temos hoje, cabe a ele o mérito de pioneiro da invenção. Quanto a ser ou não confiável, sugiro que os interessados se informem a respeito dos aparatos/mecanismos de segurança da urna com o TSE, que sempre é solícito em divulgar as informações que forem necessárias sobre a urna eletrônica brasileira para o esclarecimento do cidadão, em vez de confiar no que é divulgado parcialmente pela mídia e por interessados em burlar o sistema eleitoral. E para curiosidade: países que não se interessaram pelo projeto da urna brasileira têm seus motivos para não a adotarem, como legislação (Alemanha), interesses escusos (ditaduras), particularidades do país… Os motivos são diversos, não é simplista como apenas reverberar por aí que a urna eletrônica brasileira não é confiável. Informem-se!

    Curtir

  19. LENER GALINARI

    A urna eletrônica: uma invenção pioneira de Mato Grosso

    Durante os primeiros anos da década de 1990, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso já iniciara estudos e pesquisas para o desenvolvimento de uma máquina de votar eletrônica, tendo à frente o servidor Luiz Roberto da Fonseca. Foi no ano de 1993 que o protótipo ficou pronto, servindo de modelo para os estados brasileiros.
    Dois projetos desse tipo de equipamento precursor nasceram em estados brasileiros, no Sul, Santa Catarina, e, no Centro-Oeste, em Mato Grosso. Segundo informações prestadas por Luiz Roberto da Fonseca, o projeto desenvolvido pela Justiça Eleitoral de Mato Grosso, além de mais seguro, se distinguia daquele de Santa Catarina: ―O projeto de MT é que nomeou esse tipo de eleição virtual, dando o nome de urna eletrônica, porque era uma urna que não estava conectada a qualquer rede de comunicação, garantindo, assim, toda segurança. O de Santa Catarina se apoiava na rede de dados bancária, que era a existente no país, o que gerou desconfiança. ‖ (Entrevista 16/06/2010).
    As experiências com a utilização desse primeiro aparelho eletrônico de votar foram realizadas em 1993, especialmente, como nos informa Luiz Roberto, junto ―[…] às entidades de classe e Associações Bairros de Cuiabá e Várzea Grande, utilizando o protótipo da máquina de votar, inclusive tivemos a primeira eleição oficial no Brasil utilizando esse equipamento. 639
    Por ocasião da emancipação do município de Sapezal – Lei Estadual nº 6.534, de 19 de setembro de 1994 – foi oportunizado aos moradores da circunscrição decidir sobre a emancipação municipal, votando na urna eletrônica.
    No início do ano de 1994, a Justiça Eleitoral mato-grossense apresentou em âmbito nacional, essa pioneira experiência, nascida em Mato Grosso: ―Em fevereiro de 1994, o TRE-MT apresentou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando estava à frente do órgão o Ministro Sepúlveda Pertence, o modelo da nossa máquina de votar, como uma solução para que a vontade do eleitor, depositada livremente nas urnas, fosse o resultado final da eleição. O Ministro gostou muito da ideia e pensou na realização, em Cuiabá, de uma eleição simulada, visando testar o sistema, o que se concretizou. O evento foi acompanhado pela TV Globo, com a presença de todos os representantes das afiliadas, visando aperfeiçoar a sua metodologia de apuração paralela, que esta Rede realizava até então. […] pela primeira vez na história da Justiça Eleitoral brasileira foi realizada uma eleição simulada aqui em Cuiabá, com a utilização de 2 urnas: uma para votação majoritária e a outra na proporcional. ‖ (Entrevista 16/06/2010).
    A votação ocorreu nas dependências do Colégio Ana Maria do Couto (May do Couto), com a presença voluntária da população. Estavam presentes nesta oportunidade o Presidente e o Corregedor-Geral do Tribunal Superior Eleitoral, Ministro Sepúlveda Pertence, e o Corregedor Aristides Junqueira, além dos Presidentes de todos os Presidentes dos TRE’s dos Estados brasileiros. A apuração foi realizada na antiga Escola Técnica Federal, utilizando-se da metodologia prevista na legislação eleitoral, intitulada Voto Cantado, que veio a ser adotada futuramente em eleições do Brasil.
    Em 1995 assumiu a Presidência do Tribunal Superior Eleitoral o Ministro Reis Veloso que deu continuidade à ideia, montando o que ficou conhecido, na época, como Comissão dos Notáveis, ocasião em que foram convidadas 40 personalidades brasileiras responsáveis pela elaboração de uma proposta de Reforma Eleitoral. Dentre estes 10 incumbidos da viabilização da informatização do voto no Brasil, Luiz Roberto da 640
    Fonseca representou Mato Grosso. Ele se responsabilizou, ao lado dos demais membros, pelas premissas de como seria a máquina definitiva de votar, a ser adotada pelo TSE e, posteriormente, implantada em todo o país.
    Inicialmente, a máquina de votar foi denominada Coletor de Votos, designação dada pelo TSE em razão de se imaginar que o nome Urna Eletrônica, utilizada por Mato Grosso, estaria com sua patente registrada pelo seu criador, Luiz Roberto da Fonseca, que desenvolveu todo o projeto inicial da máquina. Posteriormente o TSE ficou sabendo, por depoimento do próprio, que ele não havia registrado em seu nome a patente de sua invenção, por entender que a propriedade intelectual da urna eletrônica pertencia à Justiça Eleitoral Brasileira, visto ter sido desenvolvida pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, onde era funcionário. Essa postura, digna de elogios, faz desse servidor do TRE-MT uma exemplo postura ética.
    A primeira eleição oficial no Brasil, utilizando a urna eletrônica, foi realizada nas eleições municiais de 1996, nas capitais. Já em 2000, ela foi expandida para todo o território nacional.
    Fonte: SIQUEIRA, Elizabeth Madureira Siqueira. Evolução histórica da justiça eleitoral mato-grossense : 1932-2012. Cuiabá : Entrelinhas, 2012. p.349-350

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s