Pimenta: “Zelotes investiga o maior esquema de sonegação fiscal já ocorrido no Brasil”

Dep. Paulo Pimenta

Dep. Paulo Pimenta

Entrevistei por email o deputado federal Paulo Pimenta (PT), relator da subcomissão que acompanha a Operação Zelotes. A Zelotes investiga a compra de votos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) em julgamentos sobre a sonegação de bilhões de reais em impostos por parte de grandes empresas, o que também está sendo apurado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Carf.

1. Como o senhor analisa a cobertura da imprensa em relação à Operação Zelotes?
Totalmente seletiva. A Operação Zelotes passou por várias fases na mídia. Na fase inicial, houve uma imensa tentativa da imprensa brasileira de desqualificar o trabalho da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Depois, em um segundo momento, o assunto Zelotes sumiu dos noticiários do país quando se verificou que não se tratava de um escândalo político, mas que envolvia grandes empresas, multinacionais e até setores da própria mídia. Já nesta última fase, agora, a imprensa tenta construir uma nova versão para o que verdadeiramente se trata essa operação, tentando associá-la a um caso do atual governo. Mas a verdade é que a Zelotes investiga o maior esquema de sonegação fiscal já ocorrido no Brasil, envolvendo grandes empresas, escritórios de advocacia e empresas de consultoria. A Polícia Federal apura a manipulação de resultados que teriam ocorrido no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, que é o órgão do Ministério da Fazenda criado para julgar os litígios tributários, entre o Fisco e os contribuintes.

2. A RBS está sendo investigada? Em que grau é o envolvimento desta empresa em ações supostamente criminosas?
O caso RBS foi enviado para o Supremo Tribunal Federal, pois durante as investigações o Ministério Público encontrou ligações com o Ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, que detém prerrogativa de foro privilegiado.

3. Quem está vazando os documentos da Operação Zelotes?
Desde o início, defendemos que, assim como as demais operações, os autos do processo fossem públicos. Entretanto, o juiz responsável decretou o sigilo desses documentos, pois, “provocaria desnecessária exposição da intimidade dos investigados perante os meios de comunicação”. Essa decisão, além de ser pouco transparente, protege os indiciados e favorece aos vazamentos e a manipulação da mídia.

4. A Operação Zelotes vai terminar em pizza para alguns?
Nosso trabalho, desde o início do ano, tem sido para impedir uma operação “abafa” sobre a Zelotes, um escândalo que desviou cerca de R$ 20 bilhões dos cofres públicos. Por isso apresentei o requerimento para criação da subcomissão que acompanha a Operação Zelotes, e sou o relator dos trabalhos nesse colegiado. Vamos prosseguir acompanhando os desdobramentos no próximo ano. Sabemos que parte do poder econômico se movimenta para tentar abafar a Zelotes, mas confiamos no trabalho da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e no poder de fiscalização da sociedade brasileira que não vai permitir que esse escândalo bilionário caia no esquecimento.

Anúncios

  1. Jussanã Marques

    A GRANDE MÍDIA, tem grande interesse que a Operação Zelotes, caia no esquecimento, pois estão envolvidas até o pescoço! É intrigante ver como as pessoas se preocupam com com grande carga tributária do” Condominio Brasil “e não se preocupam com aqueles NÂO pagam sua COTA (impostos) do condomínio, SONEGANDO, deixando para os demais pagarem a conta! Mas os mesmos sonegadores exigem do ESTADO,saúde com qualidade, melhor educação, segurança, etc!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s