Bombeiros rebatem Bogado

O Corpo de Bombeiros de Osório foi entrevistado pelo repórter Lucas Filho, da Rádio Jovem Pan. O comandante da guarnição e o soldado responsável por fiscalizações de eventos destacaram a lisura da atuação da corporação nesta questão, afirmando que havia aprovação apenas parcial do show do Chimarruts no Gepol. Como não foram cumpridas algumas determinações, posteriormente o Corpo de Bombeiros não fez a liberação do espetáculo.
GUERRA DE VERSÕES
Os dois lados têm suas versões. O caso pode parar na Justiça, pois bombeiros se sentiram ofendidos com algumas afirmações de Bogado em outros veículos de comunicação. Bogado, por sua vez, registrou ocorrência na Delegacia de Polícia, afirmando que buscará reparação judicial pelo cancelamento de show.

Anúncios

  1. Sandro Medina

    Se existe guerra é por parte deste cidadão não nossa, a legislação para eventos com reunião de publico (eventos temporários) é bem especifica e rígida sendo as infrações cometidas nesse grupo (F7) enquadradas como gravíssimas quando o responsável pelo evento as cometeu com o objetivo financeiro ficando a integridade física das pessoas em segundo plano. O documento apresentando pelo cidadão não possui validade para liberação pois trata se apenas do status do sistema nada além disso, caso esse documento que ele acha que liberava o evento estivesse com a assinatura do analista e do oficial comandante teria validade e mesmo assim não o liberaria para realizar o evento, pois tal liberação se dá apenas com o alvará. E quanto a deletar ou alterar o status do sistema quando o mesmo foi lançado erroneamente isso não é coisa de BANDIDO e sim uma prerrogativa prevista em lei. Caro cidadão quanto a questão política se o senhor me conhecesse pessoalmente saberia que gosto tanto de política quanto um gato gosta de um cachorro, não tenho nada contra os políticos muito menos a favor. O senhor foi infeliz na sua conduta colocando em dúvida e denegrindo perante a comunidade Osoriense o nosso trabalho que tem um único objeto zelar pela vida e o patrimônio das pessoas. Pra finalizar so quem veste essa farda sabe o quanto e gratificante você ajudar salvar alguém que está entre a vida e a morte, e o que ganhamos com isso.. a satisfação do dever cumprido de mais uma vida salva e nada mais, somos abnegados viciados em salvar vidas e isso ninguém pode nos tirar, respiramos salvar isso nos alimenta isso nos move, o senhor não tem idéia do olhar dos meus filhos quando visto está farda para trabalhar do orgulho dos meus pais quando dizem que o filho é o bombeiro… agora vem o senhor a público dizer que fiz tal coisa por cunho político.. eu lhe digo o seguinte o senhor tem sorte que a minha velha mãe não sabe disso pq do contrário sentiria o peso das tamancas dela na sua cabeça.. e eu realmente estou muito chateado com isso mas mesmo assim me ajoelho e oro pelo senhor.
    “SALVAR..SALVAR..SEMPRE SALVAR!!!”

    Curtir

  2. Helio Bogado

    Ninguém disse que que o documento no sistema era válido para liberação do show, mas sim do projeto, mas faltava apenas a inspeção de um palco. Em nenhum momento, mesmo que extra oficialmente foi dito que faltava laudo populacional. O que estamos questionando é porque foi deletado no sábado as 15 : 04 o andamento do processo e incluído a condição do PROJETO DE REPROVADO. e SE ESTAVA O PROJETO REPROVADO, NÃO TERIA PORQUE EXISTIR VISTORIA; O soldado Duarte sustentou inclusive em reunião , que o Alvará não sáíria porque o Capitão não estava na cidade, quando nos reunimos com ele no Corpo de Bombeiros, ou seja, mesmo que a vistoria aprovado, e bom que se explique que se tratava de apenas um palco, que o local não apresenta nenhum risco a vida das pessoas, como quer insinuar este soldado. Agora este soldado diz que foi um erro, mas o soldado Duarte sustenta que aprovou o projeto. E ainda não explicou o que foi fazer no domingo, já naquele momento o PROJETO CONSTAVA COMO REPROVADO.

    Curtir

  3. Juliano Bueno

    O Corpo de BOMBEIROS! por prerrogativa de legislação, pode e deve efetuar vistoria em edificações a qualquer momento.
    Constituição Estadual do Rio Grande do Sul
    Lei Complementar 14.376/2013
    Decreto Estadual 51.803/2014

    Devemos respeitar as decisões de tal orgão de segurança pública do Estado.
    “A TRAGÉDIA OCORRE ONDE A PREVENÇÃO FALHA”

    Curtir

  4. Helio Bogado

    Senhor Juliano Bueno, talvez na próxima vez eu desenhe. MAs vamos lá, não estamos questionando a decisão dos bombeiros e sim seu procedimento, pois aprovou o projeto e depois reprovou sem fazer vistoria. Se um projeto teoricamente esta reprovado não exite nem a necessidade de se vistoriar. Portanto o que esta sem explicação é que no sábado , o bombeiro entrou no sistema e deletou o andamento que estava desde quarta como aprovado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s