Marcado: Assembléia Legislativa

Assembleia encara projetos de privatizações de estatais

Dep. Gabriel Souza

Dep. Gabriel Souza

Enviei perguntas ao deputado Gabriel Souza (PMDB), líder do governo na Assembleia Legislativa, a respeito dos projetos que encaminham a privatização da CEEE, Sulgás e CRM. São questões polêmicas, mas que parecem se afirmar no cenário político estadual.
No Estado o que mais divide opiniões e acalora os debates é a privatização do Banrisul. Conforme o site Valor Econômico, o Governo do Estado ainda não está disposto a encarar o desafio de privatizar este banco. No entanto, o tema se tornará recorrente neste primeiro trimestre, o que iremos abordar neste blog.

1)Como o Governo Sartori está encarando a possibilidade de privatização da CEEE, CRM e Sulgás?
O Governo busca a atualização administrativa da máquina pública, focando os seus esforços financeiros e de gestão nos serviços essenciais para a população, tais como segurança, saúde e educação. Com o decorrer dos anos, o Estado foi ficando presente em áreas onde poderia ser substituído por empresas privadas e ausente onde ele é insubstituível, onde as pessoas precisam da sua atuação. Defendemos que o Estado esteja focado naquilo que o contribuinte precisa dele: principalmente segurança, saúde e educação. Ademais, encontramos seríssimos problemas estruturantes em diversas estatais, com passivos trabalhistas que são uma verdadeira bomba-relógio, que inevitavelmente irá estourar no já combalido Tesouro do Estado.

2)A ausência de plebiscito para a privatização destas estatais pode prejudicar o debate e a votação na Assembleia?
Sou defensor que o Brasil volte a utilizar esse importante instrumento do plebiscito, assim como já acontece em vários países, especialmente na Europa. Para realizar um plebiscito, teríamos que esperar até o final do ano (tempo para a Justiça eleitoral organizá-lo) e gastaríamos em torno de R$ 25 milhões. Temo que não tenhamos esse tempo todo, pois estamos na iminência de aderirmos ao Plano de Recuperação Fiscal com a União – Plano esse que possibilitará o Estado a voltar a pagar em dia os servidores, além de não atrasar os repasses para hospitais e municípios, por exemplo – imagino que a Assembleia terá que se posicionar sobre o futuro do Estado, se irá ou não autorizar o Rio Grande a aderir ao Plano de Recuperação e, dessa forma, tirar o Estado da crise. A bola está com os deputados.

Anúncios

Pesquisa agropecuária será debatida em Osório

Deputada Zilá

Deputada Zilá

A Frente Parlamentar em Defesa da Pesquisa Agropecuária Gaúcha realiza audiência pública no auditório do IFRS – Campus Osório, amanhã (24), com início marcado para as 9 horas.
Segundo a presidente da Frente, a deputada estadual Zilá Breitenbach (PSDB), o objetivo é estimular o melhor aproveitamento de pesquisas agropecuárias nos diferentes sistemas produtivos, além de formular um banco de dados com informações de cada região sobre as necessidades na área.
Uma das palestras será feita por Maurício Fischer, diretor-técnico do Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA).

Jardel enfrentará processo de cassação

Na confraternização da vereadora Bianca Meregalli, realizada ontem (4) em Osório, conversei rapidamente com o deputado estadual Gabriel Souza (PMDB) a respeito do seu colega, o deputado Mário Jardel (PSD). Logo depreendi que acontecerá um encorpado processo de cassação do mandato do ex-goleador do Grêmio, em razão do volume de provas contra ele.
A Assembleia Legislativa já cassou este ano o mandato de Diógenes Basegio (PDT), apesar das tentativas de engavetamento do processo, feitas por alguns parlamentares. Em ambos os casos, os fatos foram escancarados pela RBS TV.

Caso Basegio revela corporativismo forte da AL

Imagem: ClicRBS

Imagem: ClicRBS

A pressão foi retomada sobre a Assembleia Legislativa, com a RBS cobrando punição pesada para o deputado Diógenes Basegio. Ocorre que alguns colegas deste parlamentar relativizaram a questão, passando a mão por cima dos graves desvios de conduta cometidos por ele. Desculpas esfarrapadas, do tipo “não houve tempo” ou “nos baseamos no que estava apenas escrito no relatório”. Deputados Ciro Simoni e Gabriel Souza esmeraram-se nas explicações, mas convencendo muito pouco.
Na esfera judicial processo se formará para julgamento do deputado Basegio, o que certamente motivará uma ação dura do juiz frente a fatos expostos na televisão.
Na Assembleia Legislativa os “água morna”, estas figuras de fala mansa que chegam se adonando das opiniões e isolando os contestadores, vão continuar aprontando das suas. Ardilosamente conseguiram safar o deputado Basegio da cassação num primeiro momento. Agora a opinião pública vai jogar pesado. A RBS está em cima, mas basta? O sentido de cidadania deve falar mais alto, afinal sustentar funcionários fantasmas é o fim da picada.

Pressão sobre a Assembleia

image
Na foto os representantes de servidores estaduais seguram cartazes com fotos de deputados. A meta é fazer pressão sobre a Assembleia Legislativa que está aprovando de roldão os projetos que integram o pacote reformista enviado pelo Governo Sartori. Em Osório os manifestantes apresentaram cartazes com as fotos dos deputados Gabriel Souza, Ciro Simoni e Any Ortiz.

Dia tenso na Assembleia

Prof. Paulo Sanches

Prof. Paulo Sanches

Hoje houve tensão no entorno da Assembleia Legislativa, em razão dos protestos contra o pacote de projetos do Governo Sartori. Chegou a haver confrontos entre a Brigada Militar e manifestantes. O professor Paulo Sanches, de Osório, acabou ferido na mão esquerda no meio da confusão.
A radicalização é péssima neste momento, pois há necessidade de algumas reformas no Governo do Estado. Até onde sabemos o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edson Brum, procurou manter o diálogo. Gradis tiveram que ser instalados para proteção do Legislativo.