Marcado: Governo Dilma

Stela Farias aponta desmonte do serviço público no RS

Dep. Stela Farias

Dep. Stela Farias

Hoje a deputada estadual Stela Farias (PT) visitou o Litoral Norte. Em Osório ela se reuniu com companheiros, abordando o Governo Sartori e as decisões do presidente em exercício Michel Temer (PMDB). Stela criticou as ações do governador José Ivo Sartori, apontando para o que seria um desmonte do setor público. “Ao atual governo interessa transferir à iniciativa privada o orçamento público para a prestação de serviços, através da celebração de contratos com entidades privadas”, explica.
Acompanhando o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, entende que ele pode ser revertido no Senado. A parlamentar considera que as medidas tomadas por Temer e sua equipe representam tentativas de consolidar um programa de governo neoliberal, sendo também voltadas à limitação das ações da presidente afastada.

Pimenta: “não reconhecemos esse governo golpista”

Dep. Paulo Pimenta

Dep. Paulo Pimenta

Encaminhei perguntas ao deputado federal Paulo Pimenta, vice-líder do PT na Câmara. O ambiente político segue tumultuado em Brasília. O presidente em exercício Michel Temer está apresentando suas linhas de ação, mas esbarrando em contrariedades múltiplas.
Dilma Rousseff ainda luta para manter seu mandato, o que se definirá no Senado. Dentro deste debate conflagrado, Pimenta faz severas críticas a Temer e sua equipe, tendo como base algumas medidas tomadas pelo governo provisório.

1)Como estás vendo as ações do presidente em exercício Michel Temer?
Não reconhecemos nenhum ato desse governo ilegítimo e golpista. É um desastre atrás do outro. Os 20 dias são marcados por uma série de medidas desastrosas, como o fim do Ministério da Cultura, queda de dois ministros flagrados tentando barrar a Lava Jato, fim da CGU, cortes no Minha Casa, Minha Vida, anúncio de cortes no Bolsa Família, na área da saúde. Um governo conservador que expulsou as mulheres do primeiro escalão. Ninguém consegue apontar, sequer, uma medida positiva desse governo golpista. Em poucos dias, Temer já conseguiu entrar para a história com um dos piores governos de todos os tempos.

2)As últimas revelações confirmam a tese de golpe, conspiração contra a presidente Dilma Rousseff?
Com certeza, o Brasil assiste perplexo às tramas que foram feitas para afastar a Presidenta Dilma Rousseff, uma mulher honesta, que jamais interferiu em qualquer investigação, diferente do que foi revelado pelo grupo político do Temer, que, pelo que se sabe, buscava oferecer proteção para parlamentares investigados votarem a favor do golpe. É um escândalo o que aconteceu, mas não nos surpreende, pois desde o início desse processo nós vínhamos denunciando um esquema criminoso montado no Congresso Nacional para afastar Dilma, obstruir a justiça e salvar parlamentares investigados por corrupção, naquilo que o braço político de Michel Temer chamou de ‘acordão nacional’.

3)Há chance de a presidente Dilma Rousseff reverter o processo de impeachment no Senado?
Certamente, veja que a popularidade da Presidenta disparou e hoje está em 33%, um crescimento de mais de 300% nos últimos meses, por que a população brasileira se deu conta do que estava realmente por trás do golpe. A Dilma não cometeu qualquer crime. Muitas pessoas que foram às ruas estão envergonhadas pois começa a cair a ficha de que elas foram manipuladas e usadas por parlamentares investigados. Essas pessoas se deram conta que, na verdade, não havia nenhum interesse nacional, nenhum interesse para o país. Nesse mesmo sentido, senadores já começam a rever seus posicionamentos depois do episódio do vazamento dos áudios.

Frente Brasil Popular critica processo de impeachment

Frente Brasil Popular usou tribuna da Câmara

Frente Brasil Popular usou tribuna da Câmara

Na sessão de ontem (2), da Câmara Municipal de Osório, William Rodrigues, dirigente da Frente Brasil Popular no Litoral Norte, fez uso da tribuna, tecendo críticas ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, considerando-o um ataque à democracia, pois afronta a Constituição. Conforme Rodrigues, trata-se de um golpe ao Estado Democrático de Direito, pois a presidente não cometeu crime de responsabilidade.
A bancada do PMDB fez pronunciamentos na tribuna, apontando as falhas do Governo Dilma e suas repercussões na economia, hoje atravessando grave crise e com altas taxas de desemprego.
O vereador Valério dos Anjos (PDT) também discursou, aproveitando para criticar o Governo Sartori. O PDT foi elogiado por William Rodrigues, pois grande parte dos seus integrantes no Congresso é contra o impeachment.

Crise econômica reduz receita da Prefeitura de Osório

Sec. Soly Dutra

Sec. Soly Dutra

Entrevistei o secretário municipal de Finanças, Soly Dutra. Segundo ele, as receitas locais, como IPTU, ITBI, ISS, estão ingressando nos cofres municipais dentro do previsto. “Os recursos que vêm dos governos estadual e federal estão em menor volume”, explica. O repasse do ICMS, afetado diretamente pela retração da atividade econômica, está bastante reduzido.
“Por enquanto não há necessidade de parcelar salários”, afirma. Os investimentos de maior vulto não estão sendo realizados pela administração municipal, pois poderão comprometer gravemente as finanças da Prefeitura. “O custeio do Executivo Municipal está garantido. O município de Osório está equilibrado financeiramente”, tranquiliza o secretário.
A expectativa fica em relação ao governo federal, com a possibilidade de saída de Dilma Rousseff e a posse de Michel Temer, algo a ser definido em breve pelos congressistas. “A melhora no país vai depender da política econômica. Do Governo do Estado não se pode esperar muito, pois só vai renegociar a dívida para cobrir a folha de pagamento”, conclui.

Valério dos Anjos critica votação do impeachment da presidente

Valério dos Anjos

Valério dos Anjos

Na sessão de ontem, da Câmara Municipal de Osório, o vereador Valério dos Anjos (PDT) criticou a maneira como muitos parlamentares votaram no pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), com referências indevidas no momento de expor sua posição no microfone da Câmara.
Defendeu a abstenção do deputado Pompeo de Mattos (PDT). “Foi a melhor maneira para ele se posicionar”, afirma.
“Não sou PT e muito menos PMDB. O meu partido é quase de esquerda, quase PT, mas não é. E eu não concordo com muita coisa que o PT faz, mas vi na televisão pessoas chorando e temos que ter respeito com elas. Deputados riam da cara daquelas pessoas que estavam chorando pelo resultado da votação”, apontou.
Valério fez questionamento à bancada do PMDB. “Vocês votaram no Temer? Não, não votaram no Temer. Não tinham confiança. A partir de ontem passaram a ter confiança no Temer. Isso que entristece a gente. Saber que essas pessoas vão administrar o Brasil. Não estou defendendo o PT, mas a população acreditou neste partido. Muitas pessoas de Osório estão tristes com esta situação”, afirmou na tribuna.

Manifestação contra impeachment

IMG_2228Hoje, ao final da tarde, aconteceu manifestação contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff no centro de Osório. Havia integrantes do PT, PC do B e PDT. As manifestações enalteceram as conquistas sociais dos governos de Lula e Dilma, despejando críticas sobre o oportunismo e revanchismo do pedido de impeachment, caracterizado pelos manifestantes como um golpe à democracia. Fizeram pronunciamentos Denílson da Silva (PT) e Binho (PDT), entre outros.
O ato se encerrou às 19 horas. Agora o PT e seus aliados terão um longa vigília até a hora da votação, com grande expectativa em relação ao resultado. Os dois lados apresentam números divergentes, o que já era de se esperar.

Deputado Paulo Pimenta: “Dilma não cometeu nenhum crime”

Dep. Paulo Pimenta

Dep. Paulo Pimenta

Entrevistei Paulo Pimenta, o deputado federal mais votado do PT gaúcho. Atualmente é vice-líder do Governo Dilma Rousseff no Congresso Nacional e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.
O parlamentar vê o Brasil envolvido numa crise da economia mundial, mas o que mais o preocupa neste momento é o processo de impeachment da presidente Dilma, prestes a ser votado na Câmara. Pimenta considera o impeachment um golpe. Os embates se aguçarão em Brasília, com cada lado mostrando suas armas.

1)Como o senhor vê o Governo Dilma e os desafios que tem pela frente?
O governo da Presidenta Dilma deu sequência às transformações sociais iniciadas pelo ex-Presidente Lula no país. A Presidenta Dilma tem enfrentado de maneira firme a crise que não é uma crise do Brasil, mas sim uma crise do capital internacional que, em um primeiro momento, iniciou nos Estados Unidos em 2008, depois atingiu países europeus, e há quase dois anos afeta, mais fortemente, os países dos BRICS, como Brasil, Rússia, Índia e China. Portanto, essa não é uma crise isolada do Brasil, como noticia a mídia. A Presidenta Dilma tem todas as condições de fazer o Brasil superar esse momento, em que pese o trabalho diário da oposição, que mostra não ter compromisso nenhum com os brasileiros, para amarrar o país e agravar esse período de retração econômica.

2)O processo de impeachment terá que tipos de críticas e apoios dentro da Câmara?
O impeachment é um golpe porque para ter impeachment é preciso ter crime de responsabilidade fiscal, e Dilma não cometeu nenhum crime. O impeachment, o parecer do TCU, o pedido de recontagem dos votos do PSDB ao TSE, todos são parte de uma estratégia da oposição, inconformada por ter sido derrotada quatro vezes nas últimas eleições, que busca deslegitimar a vitória da Presidenta Dilma. Há uma aliança jurídico-midiática que constrói o caos, de forma muito seletiva, junto à opinião pública, e muito parecida com o golpe de 1964, enquanto os partidos de oposição, no campo político, buscam desestabilizar economicamente o país. O acordo para o golpe prevê uma série de questões que, nesse momento, estão sendo escondidas da população brasileira, como mudanças nas legislações trabalhistas e previdenciárias para retirar direitos; ampliação de privatizações incluindo a Caixa Econômica, o Banco do Brasil, universidades e a Petrobrás; a ampliação de vagas no STF para 15 integrantes para acabar com a Lava-Jato no Supremo; um acordo para salvar o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, entre outros. É isso que cobram aqueles que defendem o golpe.

3)A sociedade brasileira pode esperar uma melhora do quadro político e econômico ainda em 2016?
Primeiramente, é preciso lembrar que o mundo está em desaceleração econômica. Por outro lado, é preciso ter responsabilidade, acima de tudo, com o país. Não é o que temos visto por parte da oposição. Mas é possível, sim, esperar uma melhora no quadro político e econômico ainda nesse ano, com a Presidenta Dilma governando esse país. Sem golpe! Medidas importantes já foram tomadas para reverter o cenário, o Brasil continua sendo um país confiável para receber investimentos e prosseguir crescendo com inclusão social. Portanto, temos condições de enfrentar a crise e preservar as transformações que foram feitas em nosso país nesses últimos 13 anos.