Marcado: Governo Temer

Plenária contesta reforma previdenciária do Governo Temer

Números da Previdência Social foram apresentados

Hoje à noite uma assembleia foi realizada na Câmara Municipal de Osório, contando com a presença de entidade sindicais, servidores públicos e moradores. Deram seu testemunho lideranças sindicais, os deputados Elvino Bohn Gass e Stela Farias e Miguel Rossetto, ministro do Trabalho e da Previdência Social do Governo Dilma, deposto no ano passado.
Os números da Previdência Social foram apresentados, contrastando com as avaliações do Governo Federal que apontam déficit e necessidade de reestruturação.
Houve vários pronunciamentos que bateram forte no deputado federal Alceu Moreira (PMDB), pois votou favorável à reforma da Previdência. Também sofreram pesadas críticas o ministro Eliseu Padilha (PMDB) e o deputado estadual Gabriel Souza (PMDB), por conta da política do Governo Sartori, voltada a privatizações de estatais e extinção de fundações.

PREFEITO DÁ APOIO AO MOVIMENTO

Dep. Elvino e prefeito Abrahão (direita)

O discurso do prefeito Eduardo Abrahão (PDT) foi alinhado às bandeiras do PT e seus aliados, tendo apontado o Governo Temer como elitista. Abrahão demonstrou preocupação com a reforma previdenciária proposta pelo governo, pois corta direitos e prejudica a classe trabalhadora. Ele foi advogado do Sindicato dos Bancários, portanto conhece a luta das entidades em favor de melhorias salariais e conquistas sociais.

Ao final foi elaborada a Carta de Osório. “Não assistiremos pacificamente à destruição da classe trabalhadora e conclamamos a população gaúcha a lutar energicamente, enfrentando e denunciando os representantes e serviçais do poder econômico que contaminam a política no Brasil”, afirma a moção.

Câmara Federal aprova terceirização

Dep. Paulo Pimenta e o pato

Agora à noite a Câmara aprovou texto-base que autoriza o trabalho terceirizado de forma irrestrita, para qualquer tipo de atividade. Conforme o site G1, os principais pontos do projeto são:
*A terceirização poderá ser aplicada a qualquer atividade da empresa. Por exemplo: uma escola poderá terceirizar faxineiros (atividade-meio) e professores (atividade-fim).
*O tempo de duração do trabalho temporário passa de até três meses para até 180 dias, consecutivos ou não.
*A empresa terceirizada será responsável por contratar, remunerar e dirigir os trabalhadores.
*A empresa contratante deverá garantir segurança, higiene e salubridade dos trabalhadores terceirizados.
*Após o término do contrato, o trabalhador só poderá prestar novamente o mesmo tipo de serviço à empresa após esperar três meses.
DEPUTADO LEVA PATO AO PLENÁRIO
O deputado federal Paulo Pimenta (PT) levou patos de borracha para o plenário, protestando contra a terceirização e fazendo uma alusão ao movimento, patrocinado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que levou à deposição da presidente Dilma Rousseff. Grandes patos inflados, colocados na frente da sede da Fiesp, foram a marca registrada dos protestos orquestrados contra o Governo Dilma.
“Quem está pagando o pato pelo golpe é o trabalhador. Vamos às ruas para a greve geral. Precisamos vencer o golpe”, afirmou Pimenta. O petista transmitiu a sessão ao vivo em sua página no Facebook.

Plenária em Osório debaterá Reforma da Previdência

Na próxima sexta-feira (24) uma plenária será realizada na Câmara Municipal de Osório, às 19 horas, para discutir a Reforma da Previdência. Esta assembleia é organizada pelo Comitê em Defesa da Previdência Pública do Litoral Norte, contando com o apoio de diversas entidades sindicais.
Estarão presentes deputados e lideranças políticas. A expectativa fica por conta da confirmação do comparecimento do deputado Alceu Moreira (PMDB), pois tem sido alvo de muitas críticas de sindicatos e partidos de esquerda.
Parlamentares do PT deverão se fazer presentes, trazendo notícias atualizadas a respeito da discussão da reforma previdenciária e da crise que envolve o Governo Temer.

Presidente Temer visita RS

Temer conversa com companheiros e prefeitos

Temer conversa com companheiros e prefeitos

O presidente Michel Temer está em visita ao Rio Grande do Sul, solidarizando-se com as comunidades atingidas pela forte enxurrada, em especial Rolante e Riozinho. Também confere cidades da Região Metropolitana e entrega ambulâncias ao SAMU.
Está acompanhado do gaúcho Eliseu Padilha, seu ministro da Casa Civil,  dos deputados Alceu Moreira e Gabriel Souza e do governador Sartori.
A primeira visita de Temer, na condição de presidente, ao Estado tem forte conotação política e de busca de apoio, pois o seu governo ainda está emparedado por investigações e pela crise econômica. O PMDB gaúcho ficou faceiro com a visita ilustre, mas ressabiado, afinal a popularidade do paulista continua em baixa.

CUT detona Alceu Moreira

Material foi colado em tapume da João Sarmento

Material foi colado em tapume da João Sarmento

Ontem, passando pela rua João Sarmento, em Osório, deparei-me com cartazes colados em tapume de construção. Trata-se de ação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) criticando os parlamentares que foram favoráveis à reforma da Previdência. Neste material as críticas iam direto ao deputado federal Alceu Moreira (PMDB), ex-prefeito de Osório.
Moreira precisa se desdobrar em argumentos e enfrenta cenário muito complicado, pois como integra a base de apoio ao Governo Temer, os movimentos sindicais e sociais desferem ataques fortes, um resultado da deposição da presidente Dilma Rousseff.
O deputado explica sua posição nas redes sociais. Mesmo assim, nítido fica o seu desgaste perante amplos segmentos da sociedade. Para complicar, o cenário econômico permanece ruim, prejudicando ainda mais a imagem de Temer e seus aliados.

Alceu Moreira aciona PF contra autores de vídeo polêmico

Dep. Alceu Moreira

Dep. Alceu Moreira

O deputado federal Alceu Moreira (PMDB) subiu ao púlpito da Câmara imbuído do mais alto interesse, emanado do Governo Temer, em consonância com o que seria uma nova fase do país, agora comprometida pela delação da Odebrecht. No microfone, com voz garbosa e desafiadora, incendiou o debate sobre a Previdência, pois novamente falou em “vagabundização remunerada”, termo cunhado por ele quando da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. O peemedebista estava a abordar a fiscalização do Bolsa Família e do Seguro Defeso, mas a questão chegou distorcida à internet.
O vídeo espalhou-se pelas redes sociais, sendo editado de forma a mostrar apenas as passagens que rendem desgaste a Alceu Moreira.
Num ambiente conturbado, rivalizado pela deposição de Dilma e posse de Michel Temer, Alceu Moreira chamou para si os holofotes e as vaias. Nas redes sociais os ataques a ele são aos milhares.
Agora Moreira denunciou à Polícia Federal os autores do vídeo, pois entende ser enganosa a edição, o que tem como contraponto a liberdade de expressão registrada na Constituição. O parlamentar mexeu em vespeiro e parte para o contra-ataque, enquanto tenta explicar seu pronunciamento, miniaturizado propositalmente pelos adversários.

Alceu Moreira é relator da Reforma da Previdência

Dep. Alceu Moreira

Dep. Alceu Moreira

A admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição da Reforma da Previdência está sob a responsabilidade do deputado federal Alceu Moreira (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.
“Com a admissibilidade da PEC aprovada, será instalada uma comissão especial com prazo máximo de 40 sessões para discutir o texto final a ser apreciado pelos parlamentares”, explicou o relator.
A proposta inicial prevê a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria, com uma regra de transição para quem tem mais de 50 anos. Entre as mudanças está ainda a equiparação da aposentadoria de políticos, servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada.
Em apresentação no Planalto, o presidente Michel Temer garantiu que os atuais aposentados ou aqueles que atingiram os prazos e requisitos não serão afetados. Ele estimou um déficit na Previdência de R$ 181 bilhões em 2017.
Segundo projeção do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a expectativa é que a reforma economize R$ 678 bilhões nos próximos dez anos.