Marcado: Governo Temer

Marcha busca eleições diretas em 2017

Passeatas movimentam capital federal

Milhares de manifestantes que participam das mobilizações convocadas pelas principais centrais sindicais do país seguem em marcha no início da tarde desta quarta-feira (24) em direção ao direção ao Congresso Nacional, para pressionar os parlamentares pela suspensão da tramitação das reformas da Previdência e Trabalhista, pela saída do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização de eleições diretas.
Durante a manhã, trabalhadores vindos de todas as partes do Brasil se concentraram nos arredores do Estádio Mané Garrincha. Eles saíram em caminhada pelas ruas da capital federal até o Congresso. Os organizadores esperam reunir 150 mil pessoas.
O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, avalia que esta pode ser a maior mobilização na capital federal dos últimos anos. “Pelo Fora Temer, por Diretas Já e para barrar essas reformas. Não basta mudar o presidente por eleição indireta. É preciso derrotar uma agenda. A única forma de derrotar as reformas é tirar Temer, que já perdeu a condição de governar, e garantir eleição direta, para que o povo decida”, declarou na saída da concentração.
FONTE: Rede Brasil Atual

Protesto na RS 30

Rodovia é bloqueada por muitos manifestantes

Agora há manifestantes junto à RS 30, em Osório, realizando bloqueios da rodovia. O protesto é encabeçado por sindicatos e servidores públicos, contra as reformas propostas pelo Governo Temer, atingindo a Previdência e os direitos trabalhistas.
Passavam poucos minutos das 16 horas quando aconteceu o primeiro bloqueio da RS 30 que foi acompanhado por policiais rodoviários. Também foi fechada a estrada lateral à rodovia. Não chegaram a acontecer incidentes, mas alguns motorista ficaram irritados. A manifestação deve seguir até o final da tarde.

Reformas do Governo Temer são alvo de protestos

Concentração ocorreu no Largo dos Estudantes

Hoje pela manhã acompanhei grande parte da manifestação de entidades e da população contra as reformas previdenciária e trabalhista realizadas pelo Governo Temer, com o apoio da maior parte do Congresso Nacional. A concentração aconteceu no Largo dos Estudantes, em Osório, onde sindicatos, servidores públicos e moradores foram protestar em razão de medidas que atingem diretamente a vida do trabalhador.
À tarde as atividades continuam. Está prevista uma concentração junto à RS 30, podendo ocorrer um bloqueio desta rodovia.
Para conferir vídeo da manifestação no Largo clique aqui.

Deputado Alceu Moreira está fora da Lista de Fachin

Dep. Alceu Moreira

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra ministros do Governo Temer, deputados federais, senadores, entre outros.
Estão na Lista de Fachin cinco políticos gaúchos e dois ex-executivos da Trensurb. São apontados o ministro Eliseu Padilha (PMDB) e os deputados federais Onyx Lorenzoni (DEM), Yeda Crusius (PSDB), Marco Maia (PT) e Maria do Rosário (PT).
Desta lista não consta o deputado federal Alceu Moreira (PMDB), ex-prefeito de Osório, o que é comemorado por alguns militantes do PMDB.
Os casos que mais chamam atenção são os referentes a Yeda Crusius e Marco Maia, pois as quantias investigadas superam R$ 1 milhão.

Pompeo de Mattos explica voto de abstenção

Pompeo de Mattos deu sua justificativa ao público

Na reunião ocorrida hoje, no IFRS de Osório, uma estudante questionou o deputado federal Pompeo de Mattos (PDT) a respeito do seu voto de abstenção em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).
Esta não é a primeira vez que o pedetista precisa se desdobrar em explicações a respeito deste posicionamento, pois seu partido, o PDT, recomendou o voto contra o impedimento da presidente.
Pompeo afirmou à jovem que seu voto somou-se a favor de Dilma Rousseff. “A abstenção contava para o lado da presidente”, ressaltou. “Tenho a consciência tranquila. A saída são novas eleições. O Temer não tem legitimidade”.

Deputados criticam Reforma Previdenciária do Governo Temer

Dep. Henrique Fontana

Hoje à noite, no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), em Osório, aconteceu plenária que tratou da Reforma da Previdência, sendo bastante criticado o projeto proposto pelo Governo Temer.
Os deputados federais Pompeo de Mattos (PDT) e Henrique Fontana (PT) fizeram análises apontando injustiças sociais no modelo escolhido pelo presidente Temer e sua equipe.
Fontana entende que o Governo Temer atua para desmontar o sistema de previdência pública do país. “Essa é uma antirreforma da Previdência que tenta cobrar a conta daqueles que não têm conta nenhuma com o país. Aliás, eles têm é crédito com o Brasil. A idade mínima de 65 anos penalizará os mais pobres e os que têm os menores salários.” apontou.

Dep. Pompeo de Mattos

Pompeo disse que entre as empresas que devem para a Previdência estão a mineradora Vale, com R$ 275 milhões de dívida, a JBS, dona da Friboi, com R$ 1,8 bilhão. “A lista inclui ainda bancos públicos e privados, como a Caixa Econômica Federal (R$ 549 milhões), o Bradesco (R$ 465 milhões) e o Itaú Unibanco (R$ 88 milhões). Esta Reforma da Previdência do Governo Temer não podemos aceitar em hipótese alguma”, assinalou.
Também fez pronunciamento o prefeito Eduardo Abrahão (PDT), somando-se aos dois parlamentares em seu posicionamento contra a reforma do Governo Temer. Abrahão lembrou ainda que a construção do campus do IFRS foi uma realização do governo da presidente Dilma Rousseff.

Reforma da Previdência será debatida em Osório

Dep. Henrique Fontana

O deputado federal Henrique Fontana (PT) acusou o Governo Temer de querer desmontar o sistema de previdência pública do país. Para o parlamentar, o interesse maior desta reforma é abrir mercado para que empresas de previdência privada supram aquilo que não mais será oferecido pelo sistema público. “As alterações propostas têm caráter injusto e cruel e ampliam as desigualdades”, criticou ao citar a mudança do cálculo para o valor do benefício e a idade mínima de 65 anos.
Hoje, às 19h, Fontana e os deputados Ciro Simoni (PDT), Pompeo de Mattos (PDT) e o prefeito Eduardo Abrahão (PDT) estarão no Instituto Federal de Educação, em Osório, participando de debate sobre a Reforma da Previdência. O deputado Alceu Moreira (PMDB) não confirmou presença. Sua presença seria importante para um contraponto com a ótica de quem tem apoiado a reforma.