Marcado: Hospital de Osório

Qual é o futuro do Hospital?

Integrantes do IAHCS conversam com prefeito

Recém foi decidida a manutenção da intervenção da administração municipal de Osório no Hospital e seus dirigentes e o prefeito se reuniram na última sexta-feira (10) com o Instituto de Administração Hospitalar (IAHCS) para este tratar de uma possível gestão do São Vicente.
Não queremos desmerecer reuniões e negociações deste tipo, muito pelo contrário. O problema é a procrastinação e a falta de decisões definitivas, afinal a dívida do Hospital é muito grande e ele não conta com traumatologia, UTI e outros serviços essenciais para a população de Osório e região. Mais uma vez pergunto: onde estão os líderes realmente proativos da comunidade?

Anúncios

Prefeitura de Tramandaí busca beneficiar Hospital local

Prefeito Gauto reuniu-se com gestores do Hospital

O prefeito de Tramandaí, Luiz Carlos Gauto (PP), participou na última terça-feira (7) de uma reunião com o diretor da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas, Gilberto Barichello. Esta entidade administra o Hospital de Tramandaí, onde ocorreu o encontro.
Uma das principais pautas abordadas foi o repasse no valor de R$ 1,35 milhão da Prefeitura para a instituição de saúde. Este montante faz parte da dívida que o Governo Estado tem com o Município de Tramandaí. A administração municipal abriu mão de parte do valor total visando beneficiar o Hospital.
Tratativas semelhantes estão ocorrendo em Osório, procurando beneficiar o Hospital São Vicente de Paulo cuja situação financeira é bem pior que a do Hospital de Tramandaí. Só que em Osório, devido à rivalidade entre PDT e MDB, o apoio ao São Vicente ainda está pendente. Espera-se que haja bom senso e a comunidade não fique ainda mais prejudicada.

Promessa de 2012: alta complexidade no Hospital de Osório

Informativo da Prefeitura é de maio de 2012

Remexendo numa caixa aqui no escritório, deparei-me com uma publicação de maio de 2012 feita pela Prefeitura de Osório, ou seja, paga pelo contribuinte. Na capa o anúncio de ações para instalação de serviços de alta complexidade no Hospital São Vicente de Paulo, algo que hoje está mais para conto da carochinha do que qualquer outra coisa.
A matéria afirma que será implantada UTI com 19 leitos, tendo setores para adultos e recém-nascidos. Fala ainda em prazo de entrega desta obra, previsto em contrato para dentro de 18 meses.
A revista foi publicada no último ano da gestão do prefeito Romildo Bolzan Júnior, período em que a administração municipal navegava em dinheiro. Hoje o quadro mudou e o Hospital enfrenta severa crise financeira. Claro que a UTI ficou só no papo e alta complexidade nem se fala, pois a falta de recursos e os problemas operacionais impedem inovações e implantação de novos serviços.

Apoio financeiro ao Hospital é discutido na Câmara de Osório

Ver. Valério dos Anjos

Na sessão de hoje, da Câmara de Osório, o vereador Valério dos Anjos (PDT) fez críticas ao condicionamento do recebimento de recursos vindos do Governo do Estado para a saúde local. O pedetista afirmou que deveriam ser direcionados recursos de outros municípios para o Hospital São Vicente de Paulo. Está havendo negociação no sentido de a administração municipal abrir mão de parte dos R$ 1,9 milhão em favor do Hospital, o que foi sugerido pelo Governo do Estado.
O vereador Roger Caputi (MDB) ressaltou que o Governo Sartori quer entendimento. “Estamos tentando achar uma solução. A intervenção da administração municipal no São Vicente não resolveu os seus problemas financeiros”, apontou.
O vereador Beto Gueiê (PDT) foi à tribuna e disse que estava ocorrendo chantagem em relação ao município por parte do Governo do Estado. “A responsabilidade da administração municipal é com as unidades sanitárias. O MDB não teve coragem de assumir a gestão do Hospital”, disparou. “Está havendo jogo político nesta questão”.
EMENDA PARA O HOSPITAL
O vereador Ed Moraes (MDB) anunciou na mesma sessão uma emenda de R$ 1 milhão para o Hospital de Osório que virá em novembro. São recursos voltados ao custeio da entidade. Trata-se de uma gestão realizada pelo deputado federal Alceu Moreira (MDB).

Governo Sartori quer quitar dívida apoiando hospitais

Cláudio Paranhos

Hoje o coordenador regional de Saúde, Cláudio Paranhos, me colocou a par da negociação entre a administração municipal e o Governo do Estado. Este quer pagar à gestão do prefeito Eduardo Abrahão (PDT) o valor de R$ 1,9 milhão em quatro parcelas, desde que estes recursos sejam destinados ao Hospital São Vicente de Paulo, o que seria um socorro essencial para a entidade superar, pelo menos momentaneamente, os graves problemas financeiros.
Negociação deste mesmo tipo está sendo feita em relação ao Hospital de Tramandaí, envolvendo os municípios de Imbé, Balneário Pinhal, Tramandaí e Cidreira. Estas administrações já sinalizaram que vão ceder parte dos recursos recebidos para o Hospital.
Caso haja entendimento entre a Prefeitura de Osório e o Hospital, o acordo será chancelado pelo Ministério Público, com respaldo das entidades envolvidas. A resposta do prefeito Abrahão é aguardada, podendo ser o sinalizador de que as dívidas salariais serão saldadas, pois há uma espera angustiante por parte de muitos funcionários. Do contrário, os recursos virão bem mais tarde para Osório, talvez protelados indefinidamente.

Hospital de Osório e MDB buscam entendimento

MDB reuniu-se com diretor Milton Porto Alegre

O deputado Alceu Moreira (MDB) conseguiu reunir o novo diretor do Hospital de Osório, Milton Porto Alegre, com o secretário estadual da Saúde, Francisco Paz. A reunião ocorreu ontem (24) e também teve a presença dos vereadores do MDB local e do coordenador regional de Saúde, Cláudio Paranhos.
Foram discutidas questões como um novo contrato entre o Hospital e o Governo do Estado, visando garantir mais recursos para a instituição.
Estes entendimentos são válidos, na medida em que o Hospital enfrenta uma crise financeira muito forte. No entanto, os problemas centrais não são atacados. Todos sabemos da rivalidade de PDT e MDB em Osório, o que repercute diretamente no São Vicente.
A intervenção da administração municipal, comandada pelo PDT, foi mantida por mais seis meses, o que significa a continuidade da atual política de gestão, sofrendo apenas pequenas alterações.
O MDB tenta fazer sua parte, mas o entendimento entre suas lideranças e as do PDT são pífios, quando não ficam apenas na aparência.
A grande solução, talvez definitiva, seria uma entidade especializada assumir a gestão completa do Hospital, uma alternativa que fere orgulhos e barra muitos interesses.

Prefeitura de Osório mantém intervenção no Hospital

Milton Porto Alegre, diretor do Hospital

Foi prorrogada por seis meses a intervenção da administração municipal no Hospital São Vicente de Paulo. Como Márcio Rolim pediu exoneração no dia 14 do cargo de diretor nomeado pelo Executivo, assumiu em seu lugar Milton Porto Alegre.
Milton já conhece bem a situação do Hospital, pois era assessor direto de Márcio Rolim. Segundo ele, nos próximos meses haverá um melhor panorama da situação financeira da entidade, tendo sido implementadas algumas mudanças.
O certo é que as dificuldades continuam, o que pode ser amenizado pela quitação de alguns empréstimos. “O Governo do Estado precisa repassar o que está atrasado. Não é um valor significativo, mas faz falta”, pondera.