Marcado: Saúde

UPA de Tramandaí ganha reforço de caixa

Unidade tem papel essencial em Tramandaí

O secretário estadual da saúde, João Gabbardo dos Reis, acompanhou dia 14 a solenidade em Brasília na qual o Ministério da Saúde anunciou a habilitação e qualificação de seis Unidades de Pronto
Atendimento (UPA). Além delas, também serão beneficiados 27 hospitais filantrópicos que tiveram novos serviços habilitados ou que estavam funcionando sem receber recursos federais.
Segundo Gabbardo, as medidas anunciadas hoje pelo ministro Ricardo Barros vão aumentar o acesso, diminuir as filas de espera e qualificar o atendimento. Ele destaca também que os repasses da União deverão aliviar o Estado e muitas prefeituras que vinham arcando com o custeio das UPAS.
As seis unidades contempladas já estavam em funcionamento e agora passam a contar com financiamento federal e repasses estaduais. As UPAS estão localizadas em Bento Gonçalves, Santa Maria, São Leopoldo, Sapiranga, Tramandaí e Viamão.
Tramandaí foi contemplada com a qualificação de nível seis e terá um repasse de R$ 125 mil mensais que ajudarão a melhorar seus serviços.

Anúncios

Traumatologia está garantida no Hospital de Torres

Hospital de Torres é referência para várias cidades

O deputado Gabriel Souza (PMDB) recebeu, nesta sexta-feira, a confirmação do secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis, de que o serviço de traumatologia do Hospital Nossa Senhora dos Navegantes, de Torres, será mantido definitivamente.
No início do mês, as assessorias dos deputados Gabriel e Alceu Moreira, lideranças locais e direção da instituição receberam a garantia da Secretaria de que, em 30 dias, encontrariam uma solução para a permanência do atendimento.
O repasse de R$ 40 mil do Governo do Estado também será retomado. “O assunto está resolvido e a população continuará contando com o serviço de traumatologia de forma definitiva”, destacou.

Coordenadoria vai agilizar recursos para UPA de Osório

Cláudio Paranhos, coordenador de Saúde

Pelo que depreendi da entrevista com o coordenador regional de Saúde, Cláudio Paranhos, em breve os R$ 700 mil serão destinados para o término da UPA de Osório. Paranhos alega que a administração municipal não se manifesta para a Coordenadoria sobre a UPA desde agosto de 2016, quando a situação financeira do Governo do Estado não era nada boa.
Segundo ele, nova solicitação deve ser feita pela Prefeitura de Osório para que neste ano os recursos sejam liberados. Também explica que o plano de trabalho da obra deve estar atualizado. “Ontem conversei com os deputados Alceu Moreira e Gabriel Souza sobre este assunto”, salientou a respeito da importância da articulação política para a obtenção de recursos do Governo do Estado.

Secretário Magni cobra recursos para UPA de Osório

Sec. Emerson Magni mostra documentação oficial

O secretário municipal da Saúde, Emerson Magni, reencaminhou à Coordenadoria Regional de Saúde pedido de recursos para conclusão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Osório. Segundo ele, as obras estão 90% concluídas e há necessidade desta verba de R$ 700 mil para auxiliar na colocação em atividade da unidade. Magni assinala que o Governo do Estado já enviou recursos para obras da UPA de Farroupilha, em abril, e para a UPA de Parobé no último dia 11.
Como as solicitações de recursos por parte da Prefeitura de Osório foram feitas em agosto do ano passado, há impressão de conotação política, já que a administração municipal é comandada pelo PDT do prefeito Eduardo Abrahão, adversário local do PMDB.
Em agosto de 2016 a alegação do Governo do Estado era de que havia dificuldades financeiras, baseando-se numa resolução de 2013 do então secretário da Saúde, Ciro Simoni, que determinava contenção de gastos. Magni espera que os deputados atuem no sentido da liberação dos R$ 700 mil para a UPA osoriense.

Comunidade aguarda definições sobre Hospital de Osório

Prefeito Abrahão conversou com Grupo Santa Casa

Até agora não foi marcada a audiência pública para discutir a situação do Hospital São Vicente de Paulo, pleiteada pela bancada do PMDB. Enquanto isto, o prefeito de Osório, Eduardo Abrahão (PDT), joga charme para a Santa Casa de Misericórdia, de Porto Alegre, procurando viabilizar o que pode ser uma parceria profícua para gestão do Hospital, cuja situação financeira é muito ruim.
Do outro lado da mesa está o conselho gestor da Associação Beneficente São Vicente de Paulo que é quem de direito pode definir o futuro da instituição, hoje sob intervenção da administração municipal. Neste arranjo complicado de interesses, tem muito peso o foco da administração municipal, hoje conhecendo de perto a realidade do Hospital, afinal lá está gente da sua confiança.
No somatório espera-se que prevaleça o interesse público, afinal o São Vicente atende grande contingente da população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), essencial para as classes trabalhadoras de Osório e região.

Santa Casa conhece situação do Hospital de Osório

A Santa Casa de Misericórdia veio hoje a Osório para conhecer o Hospital São Vicente de Paulo, sua situação e estrutura. Na foto Júlio Matos conversa com o prefeito Eduardo Abrahão (PDT). O São Vicente está sob intervenção do Executivo Municipal e surge a possibilidade de uma parceria promissora com o grupo da capital gaúcha.
As instituições hospitalares que mais têm chance de se recuperarem administrativa e financeiramente são as que se profissionalizarem em todos os setores. O Hospital de Osório, dos grandes da região, é o único que não conta com UTIs, o que deve motivar um remodelamento da instituição.

Hospital de Torres terá nova UTI

Sec. Gabbardo (dir.) garantiu investimentos

Ontem (26) houve reunião no gabinete do secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis, para celebração de convênio que permite que o Estado repasse o valor de R$ 380 mil para a construção do acesso e de um elevador para a nova UTI do Hospital de Torres. Ela terá dez leitos. Hoje a instituição possui apenas cinco leitos de UTI. Conforme o coordenador regional de Saúde, Cláudio Paranhos, há falta de leitos deste tipo no Litoral. Ele frisa que estes recursos estavam retidos há cinco anos. Houve trabalho dos deputados Gabriel Souza e Alceu Moreira para que a verba fosse encaminhada ao Hospital.
HOSPITAL DE TRAMANDAÍ
Outra questão importante tratada com a Secretaria Estadual da Saúde, foi a assinatura de novo contrato com o Hospital de Tramandaí. Agora o governo federal destinará R$ 3 milhões por mês à entidade e o Estado R$ 1 milhão, uma inversão das contrapartidas que antes vinham sendo muito pesadas para o caixa estadual.
Paranhos acrescenta que está atuando no sentido de aumentar a gama de especialidades médicas disponíveis para a população da região. Ele que já desponta como um dos coordenadores de saúde mais atuantes, com ainda muito trabalho pela frente em razão das demandas das diversas cidades.