Marcado: Saúde

Santa Casa conhece situação do Hospital de Osório

A Santa Casa de Misericórdia veio hoje a Osório para conhecer o Hospital São Vicente de Paulo, sua situação e estrutura. Na foto Júlio Matos conversa com o prefeito Eduardo Abrahão (PDT). O São Vicente está sob intervenção do Executivo Municipal e surge a possibilidade de uma parceria promissora com o grupo da capital gaúcha.
As instituições hospitalares que mais têm chance de se recuperarem administrativa e financeiramente são as que se profissionalizarem em todos os setores. O Hospital de Osório, dos grandes da região, é o único que não conta com UTIs, o que deve motivar um remodelamento da instituição.

Anúncios

Hospital de Torres terá nova UTI

Sec. Gabbardo (dir.) garantiu investimentos

Ontem (26) houve reunião no gabinete do secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis, para celebração de convênio que permite que o Estado repasse o valor de R$ 380 mil para a construção do acesso e de um elevador para a nova UTI do Hospital de Torres. Ela terá dez leitos. Hoje a instituição possui apenas cinco leitos de UTI. Conforme o coordenador regional de Saúde, Cláudio Paranhos, há falta de leitos deste tipo no Litoral. Ele frisa que estes recursos estavam retidos há cinco anos. Houve trabalho dos deputados Gabriel Souza e Alceu Moreira para que a verba fosse encaminhada ao Hospital.
HOSPITAL DE TRAMANDAÍ
Outra questão importante tratada com a Secretaria Estadual da Saúde, foi a assinatura de novo contrato com o Hospital de Tramandaí. Agora o governo federal destinará R$ 3 milhões por mês à entidade e o Estado R$ 1 milhão, uma inversão das contrapartidas que antes vinham sendo muito pesadas para o caixa estadual.
Paranhos acrescenta que está atuando no sentido de aumentar a gama de especialidades médicas disponíveis para a população da região. Ele que já desponta como um dos coordenadores de saúde mais atuantes, com ainda muito trabalho pela frente em razão das demandas das diversas cidades.

Prefeitura de Osório reduz serviços contratados no Hospital

Hospital de Osório

A Prefeitura de Osório vai reduzir a compra de serviços no Hospital São Vicente de Paulo. A entidade segue se desdobrando para atender a população, sendo afetados diretamente os setores de traumatologia e ortopedia. Os exames de ecografia também foram reduzidos. Os médicos estão com salários atrasados, tendo recebido 50% de junho.
O São Vicente encontra-se sob intervenção da administração municipal, desde a saída da mantenedora filantrópica. Soluções são procuradas pelo diretor Márcio Rolim, procurando manter um bom atendimento no setor de emergência.
Uma das saídas para o Hospital seria passar seu comando a uma entidade especializada, o que já foi feito pelos hospitais de Tramandaí, Capão da Canoa, Torres e Santo Antônio da Patrulha.

Qual é a dívida do Hospital de Osório?

Vereadores fizeram perguntas à direção do Hospital

Uma pergunta que surgiu, durante sabatina feita pelos vereadores de Osório à direção do Hospital São Vicente de Paulo, ocorrida nesta terça-feira (20), foi a respeito do volume da dívida da entidade.
Os dois dirigentes do Hospital afirmaram não ter em mãos os dados totais da dívida, mas uma empresa de contabilidade está fazendo um levantamento destes débitos e sua totalização.
Evidente que a situação financeira do São Vicente é preocupante, daí o surgimento desta pergunta, já que a administração municipal está prestes a renovar sua intervenção a partir de 14 de julho.
Hoje a dívida com os médicos está em R$ 592 mil e o déficit mensal fica em cerca de R$ 200 mil. Estes números já revelam um quadro preocupante. O diretor Márcio Rolim e sua equipe desdobram-se para contornar a crise.

UFCSPA planeja campus em Santo Antônio da Patrulha

Com a gestão do Hospital de Santo Antônio da Patrulha passando a ser feita pelo Grupo Hospitalar Santa Casa de Misericórdia, uma excelente oportunidade surge para o município.
A Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) está planejando a construção de um campus na cidade, contando com os cursos de Medicina, Enfermagem, Biomedicina, Farmácia, Nutrição, entre outros.
Isto é possível porque os hospitais administrados pelo Grupo Santa Casa mantêm convênio com a UFCSPA. A previsão é de que a instalação do campus já comece no segundo semestre deste ano.

Coordenador de Saúde contesta líder do PDT

Paranhos explica fornecimento de medicamentos

O coordenador regional de Saúde, Claudio Paranhos, contesta afirmação do líder do PDT na Câmara de Osório, Marcos Bolzan, de que haveria falta de 190 medicamentos, de responsabilidade do Governo do Estado, na rede local de saúde. “Concordo que ocorra falta de alguns medicamentos. Há casos em que o laboratório atrasa o fornecimento e outros em que os remédios já foram retirados pelos pacientes, constando no sistema como faltantes”, explica. Paranhos assinala que o número mostrado pelo vereador pedetista é muito exagerado, já que na listagem de medicamentos distribuídos grande parte é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde.
“O objetivo desta declaração no Legislativo foi me atingir politicamente e não resolver o problema do paciente. Estou à disposição dos vereadores e Prefeitura para resolver os problemas da população, sem ver a sigla partidária”, reforça.

Hospital de Palmares do Sul enfrenta crise financeira

Situação do Hospital São José preocupa comunidade

Situação do Hospital São José preocupa comunidade

Conforme notícia do Palmares News, o Hospital São José, de Palmares do Sul, começa a sofrer com a falta de recursos, o que infelizmente se tornou comum por todo o Brasil. A comunidade realizou manifestação em defesa da entidade na frente da Prefeitura.
O Hospital recebe repasses da administração municipal, os quais são insuficientes diante das despesas que tem pela frente. O prefeito Paulo Lang (PT) chegou fazer pronunciamento diante dos moradores.
Entrevistei Lang que me disse ter aumentado o repasse mensal, ao longo da sua gestão, de R$ 43 mil para R$ 92 mil. “Não queremos que o Hospital feche. Queremos que se adeque à realidade de Palmares do Sul e de todo o Brasil. Hoje a realidade é outra”, explica. Ele frisa que a rede municipal está atendendo das 8h às 20h e no balneário de Quintão o posto funciona durante as 24 horas. Lang vai aguardar a proposta da direção do São José.